OFICINA DE MEMÓRIAS:
AS CARAS DO BACALHAU

Instalação em torno da pesca do bacalhau, desenvolvida em parceria com a Associação Bind’Ó Peixe, que integra o projecção do filme “A Campanha do Argus”, de Alan Villiers, 1951.

Portugal é o maior consumidor de bacalhau salgado seco do mundo. Durante o Estado Novo mais de 21 mil pescadores portugueses foram mobilizados para a faina maior. Um em cada dez desses homens era de Vila do Conde ou Póvoa de Varzim. Desses tempos sobram histórias incríveis da pesca à linha, feita em pequenos botes de um homem só. Mas conhecerão as crianças de hoje como viviam os seus avós e bisavós nos mares do fim do mundo? Vamos juntá-los, bacalhoeiros e seus netos, em entrevistas para pequenos documentários, numa viagem inesquecível aos grandes bancos da Terra Nova e da Gronelândia.

Dânia Lucas
Nasceu em 1983 na Póvoa de Varzim. Vive em Vila do Conde e estudou Fotografia e Cinema Documental na Escola Superior de Música, Artes e Espectáculo do Instituto Politécnico do Porto. No âmbito do curso realizou o documentário "Gentes do Mar", que venceu os prémios Take One, no Curtas Vila Conde - Festival Internacional de Cinema em 2007. Produziu em 2013, no âmbito do projeto Estaleiro, da Curtas Metragens CRL, o documentário "É o Amor", de João Canijo.Durante dois anos e meio trabalhou também na produtora beActive, para a qual realizou, entre outros projetos, o documentário "A Estrada da Revolução" e geriu o projeto transmedia homónimo. Para Curtas Metragens CRL, produziu, ainda, em 2015, o documentário de Manuel Mozos, "A Glória de Fazer Cinema em Portugal". Atualmente faz parte da direção da Bind’ó Peixe - Associação Cultural, entidade que tem como objetivo o estudo e valorização cultural do património material e imaterial de Caxinas e Poça da Barca.

Filipa Almeida
Vive em Vila do Conde, de onde é natural. Licenciada em Comunicação pela Universidade do Minho e mestre em Multimedia pela Universidade do Porto, trabalha na produção e distribuição transmedia de jogos, TV e Cinema desde 2011. Foi community manager e marketer digital das propriedades da produtora transmedia beActive. Foi também assistente de realização do documentário transmedia “Road to Revolution” (2014), bem como produtora das apps e jogos para mobile e TV deste e doutros projetos transmedia. Actualmente, Filipa Almeida trabalha como consultora em áreas como criação e gestão de comunidade, criação de conteúdo pela comunidade, e escrita, desenvolvimento e produção de projetos transmedia junto de associações culturais locais e produtoras internacionais de animação e produção audiovisual.

© 2019 Curtas Vila do Conde