DDDM

Alemanha, 2019. Projeção vídeo HD, som, cor, 0:15:00, loop.

Onde se começa, onde se termina? DDDM conduz-nos a uma dramaturgia de mundos interiores e exteriores. Confrontamo-nos com a presença de uma imensidão imediata. O trabalho possibilita o movimento do sujeito imóvel. O seu objetivo é estabelecer um estado de intensidade máxima através da sobrecarga intencional das capacidades técnicas, mas também humanas. Acede-se à ligação completa ao presente na inversão do agora. O tempo torna-se bidimensional, o espaço detém-se.

Rainer Kohlberger

Artista visual freelancer nascido na Áustria e a viver em Berlim. O seu trabalho baseia-se, essencialmente, em composições algorítmicas de estética reducionista influenciada pela bidimensionalidade, drones e interferência. Nos seus trabalhos, há sempre um estrato de ruído que o fascina enquanto sentido do infinito, que é, simultaneamente, a abstração última e irremediavelmente difuso. Os seus filmes, instalações e performances convocam formas máximas de intensidades. O seu trabalho foi distinguido com vários prémios, a nível internacional.

© 2019 Curtas Vila do Conde