João Gonzalez


"Nestor" foi o meu filme de primeiro ano do curso de Animação da Royal College of Art, em Londres. À semelhança da minha curta-metragem anterior “The Voyager”, que também cobria um distúrbio psicológico (nesse caso Agorafobia), o “Nestor” tem algo de bastante pessoal, na medida em que a construção da personagem principal foi baseada em características da minha própria personalidade, num contexto obviamente exagerado e surreal. Embora o conceito e o argumento sejam algo criado de “raiz”, tanto em "Nestor” como em “The Voyager”, sinto que, até agora ambas as minhas curtas-metragens acabaram por ser indiretamente um pouco “auto-biográficas”, no que toca ao desenvolvimento psicológico dos protagonistas. É um filme que ocorre num cenário bastante bizarro, sobre um homem que, ironicamente, vive no seu próprio pior pesadelo. Nestor sofre de uma série de comportamentos obsessivo-compulsivos (relacionados principalmente com o posicionamento específico dos seus objetos e mobília na sua casa) e, para seu azar, vive num barco-casa alto e instável no meio do oceano, que nunca para de oscilar, desarrumando constantemente os objetos e mobília que o mesmo tenta (obsessivamente) manter nos sítios “corretos”.
Tentei que fosse um filme bastante “físico” e sensorial, na medida em que tanto a edição, como a narrativa ou a banda sonora foram concebidas em função do “ritmo” que controla a vida do Nestor. A edição da curta-metragem, acima de tudo, é bastante rítmica e métrica, tentando simular a sensação de claustrofobia e enclausura, na rotina da personagem.
No clímax do filme, Nestor é confrontado com o expoente máximo do seu medo.


Biografia

João Gonzalez (Porto, 1996) é realizador, animador e músico, tendo começado a tocar piano com 4 anos. Tirou a Licenciatura em Multimedia na ESMAD no Porto, onde se formou em 2017, especializando-se no campo de Animação e continuando a estudar piano independentemente. Foi aí que, como projeto final de curso, realizou a sua primeira curta-metragem, “The Voyager”, que conta com uma performance ao vivo em piano sempre que possível, em simultâneo com a exibição do filme, pelo próprio realizador. Bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, em 2018 ingressa no Mestrado em Animação da Royal College of Art, em Londres, onde realiza “Nestor” como filme de primeiro ano do curso. Conjuntamente, estes seus dois filmes receberam mais de 20 prémios Nacionais e Internacionais em festivais de cinema, onde se destacam premiações no CINANIMA, BFI Future Film Festival (UK), Prémios Ibero-Americanos Quirino (Espanha), Athens Animfest (Grécia), KuanDu International Film Festival (Taiwan), MONSTRA, IndieLisboa, Prémio Nacional da Animação e nos Prémios Sophia Estudante; assim como mais de 100 seleções oficiais em festivais espalhados pelo mundo, incluindo festivais qualificantes a Oscar e a BAFTA, tais como NYICFF (U.S.A.), Encounters Film Festival (UK), PÖFF Shorts International Film Festival (Estónia), Anima Brussels (Bélgica), Animateka (Eslovénia), ÉCU - European Independent Film Festival (França) e o Festival Internacional de Animação de Tóquio (Japão).
João tem um grande interesse em conjugar o seu background musical com a sua prática artística no cinema de animação, exercendo sempre as funções de compositor e ocasionalmente instrumentista, em todos os filmes que realiza.
O seu novo filme “Ice Merchants”, uma co-produção entre a Royal College of Art e a COLA - Coletivo Audiovisual, estará pronto este ano.

© 2021 Curtas Vila do Conde