ANIMAR 15 na Solar - Galeria de Arte Cinem√°tica

ANIMAR 15 na Solar - Galeria de Arte Cinem√°tica

Imagem de instalação artística desenvolvida a partir de

Imagem de instalação artística desenvolvida a partir de "Tio Tomás, A Contabilidade dos Dias"

Mala de objetos utilizados na produção do filme

Mala de objetos utilizados na produção do filme

ANIMAR 15 na Solar - Galeria de Arte Cinem√°tica

ANIMAR 15 na Solar - Galeria de Arte Cinem√°tica

Imagem do filme

Imagem do filme "Purpleboy"

Purpleboy na Solar - Galeria de Arte Cinem√°tica

Purpleboy na Solar - Galeria de Arte Cinem√°tica

Imagem do filme

Imagem do filme "Armados em Espi√Ķes", programa da festa Animar 15

Sobre o Programa Geral

A Solar ‚Äď Galeria de Arte Cinem√°tica acolhe mais uma exposi√ß√£o realizada no √Ęmbito da ANIMAR, em 2020 j√° na sua 15¬™ edi√ß√£o. Esta exposi√ß√£o constituir√° o centro de uma s√©rie de atividades diversificadas que, para al√©m de explorarem as rela√ß√Ķes entre o cinema e as artes-pl√°sticas, promovem a aprendizagem l√ļdica nestes campos da criatividade art√≠stica e, ao mesmo tempo, facilitam a descodifica√ß√£o de conte√ļdos, atrav√©s da documenta√ß√£o e demonstra√ß√£o dos processos que levam √† consecu√ß√£o das obras, desde a ideia inicial √†s mais variadas etapas de produ√ß√£o.
As atividades a desenvolver destinam-se ao mais vasto leque de p√ļblicos, com enfase na forma√ß√£o das crian√ßas e jovens em idade escolar, desde o primeiro ciclo do ensino b√°sico at√© √† universidade, n√£o esquecendo os mais pequeninos e o contexto das suas fam√≠lias.
A programa√ß√£o da ANIMAR 15, que integra tamb√©m sess√Ķes de cinema dedicadas a escal√Ķes et√°rios divididos em M3, M6, M10 e M14, embora centrada no cinema de anima√ß√£o, abarca as v√°rias √°reas do cinema, como a fic√ß√£o e o document√°rio, constituindo uma oportunidade para dar a conhecer algumas das curtas-metragens mais relevantes na produ√ß√£o nacional recente.
Esta exposi√ß√£o parte de um filme muito especial, ‚ÄúTio Tom√°s, A Contabilidade dos Dias‚ÄĚ, a mais recente obra em cinema de anima√ß√£o de Regina Pessoa. Trata-se, tamb√©m, da celebra√ß√£o da sua carreira de 20 anos enquanto cineasta, centrada num filme de ineg√°vel qualidade, arrojo t√©cnico e est√©tico, mas tamb√©m particularmente interessante no √Ęmbito das tem√°ticas e objetivos da ANIMAR, porque evidencia uma conjuga√ß√£o perfeita entre o universo da anima√ß√£o e do document√°rio. Para al√©m das instala√ß√Ķes art√≠sticas motivadas por elementos destacados do filme, como a m√ļsica, aspetos da cria√ß√£o pl√°stica ou objetos utilizados em sequ√™ncias animadas do filme, a carreira da cineasta e, tamb√©m, artista pl√°stica, ser√° explorada num percurso que dar√° a conhecer, talvez pela primeira vez, a diversidade da sua obra.
As instala√ß√Ķes art√≠sticas foram imaginadas e desenvolvidas, num trabalho colaborativo entre a equipa da Solar, a realizadora e o seu produtor, Abi Feij√≥, explorando dispositivos t√©cnicos variados e as suas articula√ß√Ķes poss√≠veis com o espa√ßo f√≠sico da galeria, refletindo os processos criativos implicados no filme. S√£o, igualmente, explorados os elementos distintos de cada etapa de produ√ß√£o, desde os registos textuais e gr√°ficos que documentam a ideia inicial, aos v√°rios ‚Äėstoryboards‚Äô, √†s imagens refer√™ncia que inspiraram Regina Pessoa, √† correspond√™ncia muito visual com Andreas Hykade (realizador de cinema de anima√ß√£o alem√£o, que acompanhou o desenvolvimento do filme), alguns dos objetos que pertenciam ao tio Tom√°s, incluindo p√°ginas e a sua mirabolante contabilidade, tudo num √Ęmbito documental e, ao mesmo tempo, imersivo. Os restantes filmes de Regina Pessoa, ‚ÄúA Noite‚ÄĚ (1999), ‚ÄúHist√≥ria Tr√°gica com Final Feliz‚ÄĚ (2005) e ‚ÄúKali, o Pequeno Vampiro‚ÄĚ (2012), ser√£o tamb√©m alvo de alguns apontamentos, passando pela inclus√£o de alguns brinquedos √≥ticos e pela mostra dos seus cartazes, que contextualizar√£o outros aspetos da sua obra gr√°fica. Um registo v√≠deo de uma ‚Äėmaster class‚Äô documentar√° tamb√©m, na primeira pessoa, o seu processo criativo.
Regina Pessoa, tem vindo a receber, por v√°rias vezes, reconhecimento art√≠stico, quer a n√≠vel nacional e internacional, at√© por numerosas premia√ß√Ķes em festivais internacionais de cinema de elevada reputa√ß√£o. A sua carreira √© pautada por colabora√ß√Ķes art√≠sticas com a atividade da Curtas Metragens CRL, nomeadamente na programa√ß√£o de edi√ß√Ķes passadas da ANIMAR, como s√£o exemplos a sua participa√ß√£o na exposi√ß√£o ANIMAR 8, em 2013, ou a retrospetiva dos seus filmes na Festa de Encerramento da ANIMAR 14, no ano passado.
Um segundo filme de anima√ß√£o, premiado no Curtas Vila do Conde Festival Internacional de Cinema do ano passado, ‚ÄúPurpleboy‚ÄĚ, de Alexandre Bohrer Siqueira, figurar√° como resultado de um convite especial. Dada a sua ineg√°vel qualidade e pertin√™ncia tem√°tica, a dire√ß√£o art√≠stica da Solar n√£o poderia ter ficado indiferente, logo na sua estreia no Curtas, explorando a possibilidade da sua participa√ß√£o tamb√©m na Animar. Para al√©m da exibi√ß√£o de uma s√©rie de estudos visuais preparat√≥rios e do ‚Äėstoyboard‚Äô, outros elementos destacados do filme ser√£o igualmente explorados, como ser√° o caso da m√ļsica original. Refer√™ncia para mais um aspeto l√ļdico pedag√≥gico da exposi√ß√£o, tamb√©m inspirado em ‚ÄúPurpleboy‚ÄĚ, a cria√ß√£o de uma horta no terra√ßo da Solar, que segue um modelo diretamente retirado de um dos seus planos, em forma de avi√£o.
Para al√©m desta exposi√ß√£o, a ANIMAR 15 promove visitas-oficina, tamb√©m na Solar, sess√Ķes de cinema no Teatro Municipal de Vila do Conde e nas escolas, oficinas de ‚Äėstop-motion‚Äô, pixila√ß√£o e brinquedos √≥ticos, para al√©m de workshops, com √™nfase no cinema de anima√ß√£o mas tamb√©m no document√°rio.
Estas atividades constituem um conjunto de novas ferramentas, meios e metodologias que introduzem o princ√≠pio de aprender atrav√©s de uma experi√™ncia l√ļdica e participada. Uma proposta inovadora de sensibiliza√ß√£o para a arte, atrav√©s da descodifica√ß√£o da imagem em movimento e da mobiliza√ß√£o de saberes transversais, estimulando a imagina√ß√£o atrav√©s do princ√≠pio de aprender a brincar.

A Festa da Animar, no Teatro Municipal de Vila do Conde, aproveita, oportunamente, uma nova sinergia entre a programa√ß√£o da Animar e a crescente aflu√™ncia de p√ļblico √†s sess√Ķes dedicadas ao p√ļblico infantojuvenil da responsabilidade do Teatro Municipal de Vila do Conde, com a exibi√ß√£o de uma longa-metragem de anima√ß√£o de grande p√ļblico, de qualquer modo adjacente aos temas da programa√ß√£o, dando a conhecer alguns dos artistas e entidades que estar√£o presentes ao longo da programa√ß√£o nos restantes momentos e locais, num sentido de promo√ß√£o t√£o alargado quanto poss√≠vel. A Festa de Encerramento, no mesmo teatro, ser√° um evento com uma escala semelhante √† primeira e o momento em que o p√ļblico poder√° vislumbrar o que ter√£o sido alguns dos momentos mais marcantes da programa√ß√£o, atrav√©s da proje√ß√£o de um ‚Äėmaking-of‚Äô e das curtas-metragens realizadas nos ateli√™s de imagens em movimento, considerados de longa dura√ß√£o, orientados por realizadores de anima√ß√£o experientes. A sess√£o encerrar√° com uma proje√ß√£o de filme ou um espet√°culo audiovisual, tamb√©m adjacente √† tem√°tica da programa√ß√£o.

© 2022 Curtas Vila do Conde