Papel de Natal

José Miguel Ribeiro
Portugal, 2015, ANI, HD, Cor, 30'


Dodu, um destemido bonequinho de cartão, Camila, uma amorosa menina de 8 anos e Sana, um Pai Natal de todos os dias, resgatam o pai de Camila das garras do monstro Desperdício, reciclando o papel de embrulho dos presentes de Natal e respirando em sincronia com todas as florestas do Céu e da Terra.

“Papel de Natal” é uma viagem no coração de uma família consternada pelo desaparecimento de Filipe, o pai de Camila, um famoso ecologista, dado como desaparecido durante uma expedição à Floresta Mundi na semana de Natal. Camila não aceita a perda do pai e envia Dodu, o seu boneco de cartão favorito, numa arriscada missão de salvamento.

A partir deste momento, o cinema de animação de volumes (stop-motion) e a imagem real, juntam-se para proporcionar uma aventura mágica de elevada sensibilidade artística que pretende sensibilizar as crianças para a importância da reciclagem na defesa das florestas, do ar puro e de um planeta saudável, através de gestos simples mas de grande alcance.

Com realização de José Miguel Ribeiro e argumento de Virgílio Almeida, "Papel de Natal" revela a devastação de uma floresta de papel, no mundo da fantasia, como consequência da desmatação de florestas na realidade, para fazer mais papel e mais cartão, em detrimento da reciclagem.

A técnica de animação volta a ser stop-motion, que José Miguel Ribeiro utilizou na curta-metragem "A Suspeita", premiada com o Cartoon d’Or para a Melhor Curta-metragem de Animação Europeia em 2000.

"Papel de Natal" é a 1ª experiência do realizador José Miguel Ribeiro na imagem real. Enquanto a componente de animação demorou um ano e meio a filmar, e foi integralmente realizada no estúdio da Praça Filmes em Montemor-o-Novo, a rodagem com atores demorou apenas duas semanas e decorreu no centro histórico de Almada Velha, na Mata dos Medos e na praia da Fonte da Telha.

Dodu, o protagonista do filme, nasceu como ilustração para o livro "O rapaz que aprendeu a voar", de Alexandre Honrado, editado em 2007 pela Dom Quixote. Depois tornou-se o herói da série “Dodu - o rapaz de cartão”, cujo episódio-piloto “Dodu e o Balão-Lua” foi selecionado para 90 festivais de cinema.

A integração das marionetas de cartão com atores, simboliza a delicada interação entre o mundo da fantasia, mais próximo das crianças, e a realidade diária, potenciada neste diálogo de Dodu com Filipe na Árvore-Pulmão:

DODU: Porque é que te custa respirar?

© 2019 Curtas Vila do Conde