Manon de Boer

Nasceu em 1966 em Kodaicanal (Índia). Vive e trabalha em Bruxelas (Bélgica) e em Amesterdão (Holanda). Desde 1990 que trabalha com o vídeo e cinema tendo participado com instalações em numerosos eventos artísticos. Estudou na ABK de Rotterdam e na Rijkscademy de Amesterdão, na Holanda. Desde 1999 que tem participado em exposições individuais e colectivas pela Europa. Participou em inúmeros festivais internacionais de cinema (Hong Kong International Film Festival; IFFR, International Film festival Rotterdam; Viennale Internacional Film Festival Vienna; 12º Festival Internacional de Curtas Metragens de Vila do Conde; FID, 15th International Documentary Festival Marseille). Na Solar-Galeria de Arte Cinemática apresentou os seguintes trabalhos: ?Sylvia Kristel ? Paris? (2003); ?Sylvia, March 1, 2001, Hollywood Hills? e ?Sylvia, March 2, 2001, Hollywood Hills? (2001/2005); ?Shift of Attention? (1999); ?Anemiek" (2005); ?Robert, June 1996?, ?Robert, October 2001?, ?Laurien, March 1996?, ?Laurien, September 2001?; "Switch" (1998).

Siegfried Fruhauf

Nasceu em 1976 em Grieskirchen (Áustria). Vive e trabalha em Linz e Heiligenberg (Áustria). Desde 1993 que experimenta na área do vídeo e do cinema. Estudou Design Visual Experimental na Art University Linz. Desde 2001 que organiza eventos de arte e cinema com o grupo de artistas ?wunderkinder?. Participou em inúmeros festivais de cinema internacionais (Festival de Cannes, Semaine Internationale de la Critique; International Film Festival Venice Nuovi Terretori; Sundance Film Festival Park City; International Film Festival Rotterdam; International Film Festival Toronto). "Com um vigor extraordinário, Siegfried A. Fruhauf tornou-se conhecido no cinema austríaco em poucos anos. Fruhauf não só continuou a tradição fértil dos cineastas vanguardistas da Alta Áustria (Kubelka, Export, Weibel e Brehm, são apenas alguns exemplos), como também conseguiu descobrir uma abordagem ao cinema ?estrutural? que nunca cessa de surpreender. Os filmes de Fruhauf seguem uma ordem discernível, um conceito que é determinado antecipadamente. O que era considerada uma panaceia ?avant-garde? no final dos anos 70, e que muitas vezes se transformava em mero academismo, é no seu caso, quebrado com humor. Os filmes de Fruhauf são feitos com um piscar de olhos e um toque de cotovelo e extraem a sua força da satisfação sem limites que o artista tem na experimentação". (Peter Tscherkassky) Na Solar-Galeria de Arte Cinemática apresentou os seguintes trabalhos: "Mona Lisa Dissolution" (2004); "Sun" (2003); "Exposed" (2001); "Phantom Rides" (2003); "Time Lapse".

© 2017 Curtas Vila do Conde