ABBAS KIAROSTAMI

Nasceu a 22 de Junho de 1940 na cidade do Teerão, no Irão. De 1960 a 1968 iniciou a sua carreira cinematográfica a desenhar créditos e a dirigir publicidade. Em 1969, e juntamente com um amigo, fundou a Cinematographic Department of the Institute for Children and Young Adults Intellectual Development (Kanun) a qual, com o decorrer dos anos, produziu um número relevante de filmes iranianos de grande qualidade, de realizadores como A. Naderi, B. Beyzaï, D.Mehrjui, E. Forozesh, Dj Panahi, Sobrah Sh. Saless... É considerado hoje em dia uma das figuras mais visionárias no panorama do cinema internacional. Os seus filmes desafiam tanto as expectativas da actual produção cinematográfica assim como expõem uma profunda filosofia humanista. Utilizando uma aparente simplicidade na exploração de temas complicados, Kiarostami revela a importância do assunto em detrimento da técnica. A sua inspiração e ideias para os filmes são extraídas das pessoas que o rodeiam e da observação do dia a dia circundante, dando ênfase a uma aproximação natural e improvisada pelos seus actores, Kiarostami disse “ Eu penso que a técnica pela técnica é uma grande mentira e não responde aos sentimentos e às necessidades reais”. O mais que merecido reconhecimento internacional surgiu no fim dos anos 80: em 1989 ganhou o Leopardo de bronze no Festival de Locarno; em 1992 ganha o Rossellini Prize pela sua carreia; em 1997 o filme “The taste of cherries” ganha a Palma de Ouro no Festival de Cannes; “The wind will take us away” ganhou, em 1999, o Leão de Ouro no Festival de Veneza. No dia 13 de Novembro de 1997 a Unesco outorgou-lhe a medalha Fellini.

ROSS MCELWEE

Ross McElwee nasceu na Carolina do Norte. Licenciou-se na Brown University. Mais tarde fez o mestrado em realização, coordenado pelo documentarista Richard Leacock, no Massachusetts Institute of Technology. Iniciou a carreira na sua terra natal, Charlotte, na Carolina do Norte, onde tem um estúdio. Foi cameraman nos noticiários da noite, em programas para donas de casa e em programas religiosos transmitidos pela estação de televisão local. Trabalhou também como freelancer em filmagens para documentaristas como D.A. Pennebaker e John Marshall, na Namíbia. Começou a produzir e realizar documentários em 1976. Ross McElwee realizou seis documentários de longa metragem e vários outros filmes mais curtos. A maioria destes documentários foi filmada no sul dos Estados Unidos, a sua terra de origem. Entre eles estão os favoritos da crítica: "Sherman's March," "Time Indefinite," "Six O'Clock News, " e "Bright Leaves." "Sherman's March" ganhou inúmeros prémios, incluindo Melhor Documentário no Sundance Film Festival. Foi considerado pela National Board of Film Critics como um dos melhores filmes de 1986. “Time Indefinite” ganhou prémio de melhor filme em diversos festivais e foi distribuído em sala nos Estados Unidos. “Six O'Clock News” ganhou o prémio de melhor documentário no Hawaii International Film Festival. Estes três filmes foram transmitidos pela estação Americana PBS e também no Reino Unido, França, Alemanha e Austrália. Os filmes de Ross McElwee foram exibidos nos festivais de Berlim, Londres, Viena, Roterdão, Florença, Sydney e Wellington. Foram realizadas retrospectivas no Museum of Modern Art, no Art Institute of Chicago, no American Museum of the Moving Image em Nova Iorque e États Généraux du Film Documentaire, em 1997, em Lussas, França. Ross McElwee recebeu bolsas e subsídios da Guggenheim Foundation, da Rockefeller Foundation, do American Film Institute, e do Massachusetts Arts Council. Recebeu por duas vezes apoios à realização pelo National Endowment for the Arts. Em 2000, "Sherman's March" foi seleccionado para o Cinéma du Réel, numa retrospectiva no Centre Pompidou em Paris, e quatro dos seus filmes foram exibidos numa selecção de documentários ocidentais, pela primeira vez em Teerão, no Irão. “Sherman's March” foi também seleccionado para preservação pela Library of Congress National Film Registry em 2000 como "um filme americano de significado histórico”. Ross McElwee é professor no Departmento de Estudos Visuais e Ambientais na Harvard University onde ensina realização desde 1986.

© 2017 Curtas Vila do Conde