Abertura da exposição
Sábado, 23 de Outubro, 17:30 - 20:00
Cave, Solar - Galeria de Arte Cinemática


Numa grande fazenda em Moçambique, um capataz negro ao serviço do colonizador, submete os nativos a penosas e infidáveis horas de trabalhos forçados, no cultivo das machambas, que muitas vezes só terminam com o desfalecimento dos mais fracos. Certo dia, o capataz viola Maria, a filha de Madala, trabalhador ancião, e os camaradas em fúria incitam o velho à revolta. Mas Madala não se revolta; ao invés acaba por aceitar a oferta de uma garrafa de vinho do seu ofensor. Proibido pela censura, teve uma única ante-estreia no Cineclube do Porto em 1975, após a queda da ditadura. Falado em ronga, a cópia de 35mm com legendagem em português terá desaparecido. A tradução para português deste filme foi realizada pelo próprio realizador a partir de Maputo especialmente para o contexto desta apresentação. Esta é a primeira mostra deste filme em 35 anos.

Deixem-me ao menos subir às Palmeiras, filmado em Moçambique em 1972 é baseado no conto "Dina", incluído na obra "Nós Matamos o Cão Tinhoso" de Luís Bernardo Honwana.

35mm transferido para DV PAL, 70’
Realização e Argumento: Joaquim Lopes Barbosa
Idioma: Ronga e Inglês
Tradução: Joaquim Lopes Barbosa
Legendagem: Mónica Lima Agradecimentos institucionais: Arquivo Expresso – Gesco / Grupo Impresa, Cinemateca Portuguesa, Arquivo Nacional de Imagem em Movimento. Agradecimentos: Joaquim Lopes Barbosa, Filipa César, Maria do Carmo Piçarra, Ana Courinha Ramos, Maria Cecília Courinha Ramos, José Pedro Castanheira, Gonçalo Branco.

Comissariado Nuno Rodrigues Organização Curtas Metragens CRL Alto Patrocínio Ministério da Cultura, Direcção-Geral das Artes, Câmara Municipal de Vila do Conde Colaboração: Cinemateca Portuguesa

© 2017 Curtas Vila do Conde