Binge, 2008

Binge regista as habituais cenas de intoxicação espectacular de fim de semana que se podem encontrar no centro de qualquer cidade britânica. Atordoados pelo consumo excessivo, os borguistas invadem os passeios, tombando ao pé das portas e sobre o mobiliário urbano, corpos descontrolados e em perigo. Esta série de fotografias em grande escala explora até que ponto as representações individuais de consumidores de alcool intoxicados são análogas às representações de excesso, exploração e colapso na sociedade.

Openings are Always Awkward, 2009

Projecção vídeo HD

Este vídeo utiliza actores portugueses para a representação de um guião cómico-satírico escrito em inglês pelos Common Culture e traduzido para português. Esta obra autobiográfica inspira-se no tipo de piadas que os três membros dos Common Culture dizem entre si: ruminando sobre os seus espectáculos, o desconforto das vernissages, bem como as frustrações e a raiva que sentem face à ganância e à estupidez do mundo da arte. O guião também joga com o facto de os Common Culture terem contratado outras pessoas para interpretarem o seu número, dando relevância à questão da tradução e do ventriloquismo.

Comic Battle, 2008

Projecção vídeo em 3 ecrãs

Num bar de Brighton, três comediantes britânicos foram contratados para contar anedotas de acordo com tópicos sugeridos pelos Common Culture. Cada comediante foi filmado simultaneamente enquanto disputava as atenções. O nosso interesse por comediantes britâncios centra-se na competição crua que existe entre eles e na forma como o humor é capaz de construir identidades culturais específicas através da expressão de questões globais e locais.

What about transcendence?, 2009

Projecção vídeo HD

Deslizando entre a tradição Romântica associada à paisagem britânica e a relação estereotipada entre a mulher e a natureza, a câmara move-se entre o rosto emotivo de uma figura feminina e a bela paisagem inglesa que ela observa.

Private Dance I, 2009

Instalação vídeo HD com parede espelhada

No cenário de glamour tenso do lounge de “”Private Dance” de um club de Lap Dancing, os Common Culture contratam os serviços de uma bailarina para executar dez das suas coreografias de 20 libras. Fazendo uma pausa entre cada dança apenas para voltar a vestir o soutien, a bailarina executa metodicamente o seu número, compensando o aborrecimento com um erotismo bem trabalhado.

Private Dance II, 2009

Instalação vídeo com um monitor

Nesta versão, um grande plano detém-se nas expressões da bailarina enquanto tenta evitar o tédio e o embaraço que a performance lhe provoca à medida que a vai repetindo para a câmara.

Dead Eyes, 2009

Instalação video em 3 monitores

O trabalho dos porteiros de discoteca exige que tenham uma forma particular de olhar para os clientes, uma capacidade de demonstrar a sua força e o seu controlo através da forma como se relacionam com as pessoas e do olhar que projectam. À medida que cada um tenta manter esse olhar durante vinte minutos, os vídeos passam a ser sobre actos de resistência. Ao insistirem num olhar duro para a câmara, os vídeos resistem a tradição humanista que subjaz a muitos retratos. Pouco é transmitido ou revelado para a câmara, apesar de os takes serem bastante longos.

Trophy, 2009

Por fim, os Common Culture celebram o seu sucesso em Portugal com um troféu que assinala a ocasião desta exposição.






Openings are Always Awkward
Actores: Alexandre Falcão, Olinda Favas, Ricardo Leite, Romi Soares
Organização e Tradução para Português: João Leal
Som: Pedro Santos
Câmara: Ana Joana Amorim, José Pedro Magano, Hugo Moreira

Agradecimentos
Olívia Maria Marques da Silva, João Leal, Jorge Campos, Cesário M. F. Alves, José Quinta Ferreira, David Bethell, Katie Shipley, Staffordshire University, University of Ulster, University of Wales, Newport

© 2018 Curtas Vila do Conde