O colectivo Common Culture apresenta na Solar um projecto artístico marcado pela influência do consumismo e da experiência da vida quotidiana, partindo da premissa de que existe um fascínio pela estética e pela cultura pop, numa lúcida reflexão sobre a sociedade, as suas tensões, o exercício do poder e o subjacente controlo das suas forças disruptivas.
A partir de meados do século XX, a cultura popular urbana tem sido um tema recorrente na arte, grande parte das vezes explorando e representando os produtos associados à sociedade capitalista e à ascensão social, mas não muito frequentemente as relações sociais e menos ainda as chamadas culturas do excesso.
O que se propõe ao público participante é uma relação de certa forma terapêutica, numa transferência do que é a cultura popular e de excesso, através da demarcação de um espaço social - o clube nocturno.
Tales from the Trophy Room apresenta as práticas de funcionamento de um clube nocturno onde o hedonismo e um certo erotismo aparecem de forma ritualizada mas com uma função comercial, acções desprovidas de qualquer emoção. “Private Dance” é o exemplo perfeito de como opera uma cultura superficial que nesta exposição funciona como o ponto de partida para a concepção de obras inspiradas na transacção de valores da cultura popular urbana, tão próxima da cultura do consumismo, desinformada e caótica.
Serão exibidas obras originais, concebidas para esta exposição, nas quais os autores combinam humor e referências à Pop Art, explorando a noção de gosto, vulgar e sofisticado, reforçando a sua origem anglo-saxónica através da inclusão da tradição do humor britânico transposto para uma realidade aproximada ao contexto português, através da utilização de stand-up comedy em articulação com a performance registada em vídeo na peça “Openings are Always Awkward”
Este projecto – uma exposição transvertida em Night Club - permitirá múltiplas leituras sob a forma de fantasias, desejos, medos, situações habituais numa cultura de convivência. O público, naturalmente convidado a participar e a reflectir sobre as tendências globalizantes dos nossos hábitos quotidianos, tema central nas obras “Openings Are Always Awkward”, “Comic Battle” e “Binge”, será confrontado com os códigos que tão bem conhece da programação televisiva - concursos, programas de humor, cópias de programas importados, cheios de um falso optimismo.
Em Março de 2010, os novos trabalhos produzidos para esta apresentação na Solar vão integrar outra exposição, na Golden Thread Gallery em Belfast, contribuindo para a divulgação deste projecto no contexto artístico internacional.

© 2018 Curtas Vila do Conde