Gravity Is Tops

2009, 10'
“As forças ocultas do cinema conspiram juntamente com um instante da história para produzir acções que nunca aconteceram nem podiam acontecer. 3D para toda a gente (um olho é suficiente). Relativamente ao título, ouve-se em todos os lados que “Deus é grande”. Eu não percebo, tendo em conta que ninguém está a ouvir, ou a ver, ou a fazer seja o que for acerca do que se passa aqui. No entanto, a força da gravidade sim que existe, pelo menos por agora, até que o universo se dissipe mais, e a gravidade decida a maior parte – se não decidir tudo - o que acontece no globo.”

We are Charming

2007, 1'
Estereografia antiga de bailarinas em repouso. Uma inclina-se para a frente para mostrar o peito. A câmara estéreo preserva a sua presença jovem para sempre.

Nymph

2007, 2'
A bela do baile rodeada por pretendentes. Um poderoso filme 3-D que pode ser visto sem óculos especiais e até por um só olho.

The Discovery

2008, 5'
Uma rápida justaposição permite que duas persectivas planas possam ser vistas em três dimensões.

Capitalism: Slavery

2006, 3'
Ken Jacobs: "uma imagem estereográfica antiga de trabalhadores na apanha de algodão animada por computador para apresentar a cena numa profundidade activa até para espectadores com um olho só. Mudo, sombrio, breve.” Em Capitalism: Slavery, Jacobs utiliza uma estereografia vitoriana (uma fotografia dupla) de escravos na apanha do algodão, sob o olhar atento do capataz branco, como base para este impressionante filme mudo. Através da manipulação digital, Jacobs cria uma ilusão de profundidade e movimento perturbadora. É como se tivesse entrado na imagem e tivesse reactivado este momento histórico; ele move-se por entre as figuras e isola os indivíduos, criando um efeito pulsante e intermitente que sugere movimento ao mesmo tempo que anima a estase.

What Happened on 23rd Street in 1901

2009, 13'38
“Um casal caminha em direcção à câmara, uma grelha de ventilação no passeio levanta o vestido da mulher. Nesta reavaliação cinematográfica, a acção é simultaneamente acelerada e refreada. A progressão geral é prolongada para que um minuto de imagens gravadas leve dez minutos a passar no ecrã. A acção de rua encontra-se com uma necessidade de ver mais, e desce então sobre o acontecimento uma tempestade repentina de técnicas de investigação sob a forma de uma máquina de gerar frames de cinema”
Jacobs aplica animação digital de três dimensões a um filme com um século de existência de Edwin S. Porter, o pioneiro realizador da companhia de produção de Thomas Edison. O filme What Happened on 23rd Street (1901) foi anunciado no catálogo Edison como “um êxito que irá certamente agradar”, dando-nos a oportunidade de ver “a saia de uma rapariga que é levantada a uma altura quase perversa, para seu horror e diversão dos vendedores de jornais, engraxadores e transeuntes.” Nesta versão, Jacobs amplia o filme 13 vezes a duração original. A utilização da câmara lenta é uma provocação que promete revelar mais desta cena icónica que retrata uma saia esvoaçante; no entanto o efeito strobe, crucial na técnica 3D de Jacobs, ofusca a acção.

Hot Dogs At The Met

2009, 10'
Fotografias dos anos 70 animadas digitalmente, efeitos 3-D para serem vistos sem óculos até por espectadores com um olho só. Jonas Mekas, Peter Kubelka e respectivas famílias comendo fora e regressando a casa no metro de Nova Iorque. Aparecem Flo Jacobs e Azazel. O computador, tendo em conta a localização, simula a técnica de pintura.

Jonas Mekas in Kodachrome Days

2009, 3'
“Jonas continua mais famoso por não agir como um famoso. Neste filme podemos vê-lo longe do público, passeando calmamente pelo cosmos enquanto a história acontece noutro sítio (a não ser que estejamos enganados e os momentos mais importantes e reveladores sejam os momentos “à vontade’).”

The Day Was A Scorcer

2009, 8'
“A estrela de cinema Flo, Nisi a rapariga pensativa e Aza, com idade para nos acompanhar mas ainda à espera de ser empurrada num carrinho. O sol não brinca quando faz um dia bonito em Roma. Mas o dia é perfeito quando – como se diz - nada acontece.”

Excerpt From THE SKY SOCIALIST Stratified

2009, 18'
“Uma visita digital ao sítio onde Flo e eu estivemos em 1964/1965. Eu tinha quase trinta mas a Flo, a minha jovem noiva, ainda não tinha vinte e três. Depois filmei The Sky Socialist, um filme alegre durante a época do assalto das forças norte americanas ao povo vietnamita. A função do cinema, tal como eu o entendia na altura, era mentir de forma a tornar a história suportável. A mentira, no entanto, devia ser suficientemente óbvia para aludir à verdade; o cinema era uma mentira que convidava a ver através dele, era como a religião mas com um pouco mais de brilho”

Bob Fleischner Dying

2009, 3'
“Bob permite que a sua imagem enferma e em declínio seja captada em fotografia estéreo. Um homem misterioso, tão banal em algumas coisas, tão inesperadamente “lá” quando a situação o exigia. Bob, o cameraman de Blonde Cobra, venerado pela geração seguinte de realizadores nova-iorquinos.”

© 2017 Curtas Vila do Conde