CONDOMÍNIO

Júlio Dolbeth e Rui Vitorino Santos, 2010
Madeira, cartão prensado, acrílicos e papeis

Partindo da premissa de que o trabalho é um exercício colectivo que agrega o universo gráfico de ambos os autores, "condomínio" é um projecto que desenvolve o imaginário de uma casa como metáfora de lar, um espaço que confronta a noção de vizinhança pelo recurso a objectos tridimensionais. Vizinhança não é entendida apenas como um espaço colectivo partilhado por vários condóminos, mas sim como um conjunto de acções, rituais do quotidiano que constroem as ligações entre vizinhos formando a noção de bairro. Neste projecto o que nos motiva é a construção de dois objectos que representam o espaço íntimo/privado que asseguram a identidade de cada autor, através da inclusão de características que ambos conhecem como pertencentes às suas casas. Ambos os espaços não são geografias arquitectónicas estanques, existe um conjunto de elos, reais ou imaginários que possibilitam o diálogo entre as diferentes estruturas. As estruturas construídas são idênticas. O que as torna ímpares são as marcas que cada autor utiliza na superfície da sua fachada e na forma como interagem com o espaço comum partilhado por ambos, à semelhança da ocupação das casas de um qualquer bairro urbano. A casa/fachada e espaço colectivo, acaba por ser sinónimo do habitat que ambos os autores partilham, mas que se tornam individualizados, revelando o que os diferencia, quer por uma colecção de repertórios gráficos ou simbólicos que lhe dão a sua pertença única quer pelo diálogo que origina um território comum.

Rui Vitorino Santos


Nasceu na Batalha em 1971, vive e trabalho no Porto. É docente de Design de Comunicação e Ilustração na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, paralelamente desenvolve projectos de curadoria e investigação na área da Ilustração e participa regularmente em eventos individuais e colectivos na campo da Ilustração. Co-autor do projecto de narrativas ilustradas on-line (www.pandoracomplexa.blogspot.com) com o ilustrador Júlio Dolbeth. Membro fundador da associação Dama Aflita e curador da Galeria Dama Aflita desde 2008

Júlio Dolbeth


Nasceu em Angola em 1973, vive e trabalha no Porto. Habilitações Literárias: investigação de Doutoramento na Fbaup, na área da Ilustração, a partir de 2008; Mestrado em Arte Multimédia Pela Fbaup/Feup, título “Pele Artificial”, 2002; Licenciatura em Design de Comunicação (Arte Gráfica), na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, 1996; frequência na Ècole de Beaux Arts de Saint Etienne, França, como bolseiro Erasmus, 1996; frequência do curso de Design para a Web, coordenado por Miguel Carvalhais, Fbaup, 2007; participação no workshop de Ilustração Científica, com Pedro Salgado , 2006; Curso intensivo de ilustração em Madrid na Escuela Taller de Dibujos Animados Fastasma, 1994.
Colaborações impressas nas publicações: Águas Furtadas, Bíblia, Blue Design, Cabeça de Ferro, Calendário 2008 Voltas no Carrossel, DIF, Fabrico Próprio, Jornal Publico, Parq, Rua de Baixo, Search, WAD.
Experiência profissional: Assistente na Fbaup (Faculdade de Belas Artes do Porto) a leccionar Design de Comunicação, desde 1997; Designer e Ilustrador, desde 1996; Professor de desenho de figura humana na Escola Profissional de Moda Gudi/EMP, desde 1994; representado na agência Re-Searcher, em Lisboa, a partir de 1997; colaborador com a revista DIF, até 2007; colaborador com a revista PARQ, a partir de 2007; Co-fundador da Galeria de Ilustração e Desenho, DAMA AFLITA, no Porto, 2008.

© 2017 Curtas Vila do Conde