Instalação vídeo, loop

O material com o qual Gussin criou esta instalação vídeo foi retirado do filme “2001 Odisseia no Espaço” de Kubrick (1968), da famosa sequência Stargate. A obra consiste em dois monitorees nos quais são mostradas duas edições, uma com cerca de 3 minutos, outra com aproximadamente 4:30 minutos de duração. Apesar de os dois vídeos começarem no mesmo lugar, rapidamente se tornam dessincronizados, mostrando diferentes partes da cena na qual Bowman é submetido a mudanças perceptivas e transformações físicas. Utilizando dois monitores dessincronizados, em “Beyond the Infinite” Gussin eleva as deslocações que Bowman experiencia, possibilitando que ele partilhe o mesmo espaço com o seu próprio eu passado ou futuro.


Graham Gussin

Graham Gussin nasceu em Londres em 1960, onde vive e trabalha. Estudou no Middlesex Polytechnic entre 1981 e 1985 e fez o Mestrado na Chelsea School of Art em 1990. Graham Gussin usa uma vasta gama de meios, incluindo textos, desenhos, filme, vídeo, som e instalação, para explorar a percepção do tempo, do espaço e da escala como um vínculo orgânico entre as obras, o espectador e o espaço da exposição. Frequentemente, as suas obras apropriam-se e manipulam imagens e narrativas literárias tiradas da história da arte, da cultura popular e, acima de tudo, do cinema. A sua desconstrução de materiais cinematográficos revela um interesse especial no sedimento estrutural da linguagem cinematográfica, mais do que nas suas articulações narrativas. A ambiguidade resultante gera um novo tipo de desconstrução: a noção do sublime, que é questionada por meio de uma viagem contínua entre a aparente proximidade (transparência da imagem) e a distância efetiva (descodificação das suas ligações narrativas).

© 2019 Curtas Vila do Conde