15 FEV - 1 JUN 2014

Exposição RUA ANIMADA


A exposição Rua Animada apresenta desenhos, estudos e objetos concebidos para os filmes CARROTROPE de Paulo d'Alva, DO CÉU E DA TERRA de Isabel Aboim Inglez, TRÊS SEMANAS EM DEZEMBRO de Laura Gonçalves, COMPOSITIO III de Sandra Ramos, LETTRES DE FEMMES de Augusto Zanovello, e ainda os PORTRAITS DE VOYAGES de Bastien Dubois.
Apresentando um conjunto de produções recentes de cinema de animação que se destacam no contexto nacional e internacional, esta exposição estabelece um diálogo entre diferentes materiais e técnicas de criação.
A par das visitas à galeria, a Rua Animada integra uma série de ateliês, sessões de cinema e outras atividades dirigidas a escolas e famílias, que decorrem até ao dia 1 de Junho, na Solar, no Teatro Municipal de Vila do Conde e em diversas escolas da região Norte.


Horário da exposição:
Terça a domingo 14h30 às 18h
A Solar estará encerrada excepcionalmente nos dias 17 e 25 de maio.
Entrada livre

CARROTROPE

Paulo D’Alva, Portugal, 2013, ANI, HD, Cor, 8'

Carrotrope é um novo brinquedo óptico. Aglutina o carrossel e o thraumatrope, dois objectos que representam os movimentos cíclicos da vida. Entretanto, um homem bebe e o tempo passa ao ritmo de 24 frames por segundo.

Paulo D’Alva

Paulo D’Alva concluiu a licenciatura em artes plásticas na ESAP (Escola Superior Artística do Porto) e o mestrado em ensino das artes visuais na Universidade de Aveiro. Iniciou a sua carreira no cinema de animação em 1995, nos estúdios do Cineclube de Avanca. Em 1996 participou como animador e co-realizador na série “Alfredo” (exibida na SIC durante o ano de 1998, vendida para televisões de 27 países). Entre 1997 e 2001 participou em várias curtas-metragens de animação. Em 1997 realiza sua primeira curta-metragem, intitulada “A noite cheirava mal”, participando em mais de uma centena de festivais nacionais e internacionais arrecadando um total de 11 prémios, destacando o Grande prémio e o Primeiro prémio OURO do Festival de cinema “10 International Juvenale Klagenfurt” Áustria 99. Membro fundador da associação cinematográfica de Ovar – PANORÂMICA, onde foi responsável pelo atelier de cinema de animação, realizando diversos ateliers e workshops de cinema de animação. Participou em 2006 na curta-metragem de animação “A meio da noite”, e mantém uma actividade permanente como formador na área das artes plásticas, para além da realização de spots publicitários, animáticos para televisão e vídeos pedagógicos de animação. Colabora como realizador e animador nos estúdios do Bando à Parte cinema de animação.

Filmografia:
2013 – “Carrotrope”
2004 – “Movimentos nos Olhos de Um Peixe Morto”
2004 – “Cardiovascularidades”
2003 – “Vascularidade”
2001 –“ Cidadanima” (co-realizador)
2001 – “A Bíblia na Arte”
1998 – “A Noite Cheirava Mal”
1995 – “Alfredo” (co-realizador)
1995/2001 – “Marsápio e os Animais”

CHATEAR-ME-IA MORRER TÃO JOVEEEEEM...

Filipe Abranches, Portugal, 2016 (em produção), ANI, HD, Cor, 12'

A história de um soldado português que parte para os campos de batalha na Flandres. A sua máscara de gás irá acompanhá-lo pelos corredores estreitos das trincheiras onde irá tomar contacto com os horrores da Grande Guerra. Ao inalar o gás mostarda, pela primeira vez usado como arma química, será sujeito a uma sequência de visões de figuras. Estes novos personagens são vítimas e simbolicamente dão-nos a sua visão daquela catástrofe. Já muito debilitado, Tiago, o soldado, encontra uma estratégia para escapar dali ajudado por uma rã. Rasteja sob o nevoeiro amarelo que não chega nunca a tocar o solo para ser finalmente salvo por uma família francesa. A história chegou até aos descendentes de Tiago que descobriram fotos daquela família e do próprio soldado em pose e trajando a sua farda.

Filipe Abranches
Nasceu em Lisboa, em 1965. Licenciado em realização pela ESTC. Professor de ilustração/Banda Desenhada no Ar.Co (2005-2010), lecionou e coordenou o mestrado de Ilustração da ESAP-Guimarães de 2006 a 2008. Iniciou-se na revista LX Comics no início dos anos 90, ilustra para o Expresso e outras publicações como o Público, Le Monde, Independente e jornal i. Publicou entre outros História de Lisboa, Diário de K. e Solo. Para além dos diversos albuns de BD e ilustrações publicadas, realizou duas curtas metragens de animação: “Pássaros” (2009), prémio Restart no IndieLisboa'09 e “Sanguetinta” (2012). “Chatear-me-ia morrer tão joveeeeem…” é o seu novo projeto de animação (em produção).

Filmografia:
2012 - “Sanguetinta”
2009 - “Pássaros”

COMPOSITIO III

Bernardo Sarmento, Miguel Pires de Matos, Miguel Simas, Sandra Ramos, Sílvia Namorado, Portugal, 2013, ANI, HD, Cor, 7'54

Três composições animadas homenageiam os europeus pioneiros do cinema de animação abstrata, do início do século XX. Expressionismo, construtivismo e minimalismo foram as referências conceituais para cada uma das partes. Filme realizado para a cerimônia de abertura do Festival Monstra 2012 em Lisboa.

Sandra Ramos

Sandra Ramos nasceu em Moçambique, em 1974. Licenciada em Design de Equipamento pela Faculdade de Belas Artes de Lisboa. Concluiu o curso de Realização de Filmes de Animação em La Poudrière (França). Frequentou pequenas formações com grandes mestres, como José Miguel Ribeiro, Jiri Barta, Ferenc Cakó, Florence Miailhe, Paul Driessen, Anita Killi... Professora/formadora em cinema de animação desde 2005 - Ars Animación (Madrid, Espanha); Cinanima (Espinho); Monstra , Restart, EPI, Lusófona (Lisboa); ESAD.CR (Caldas da Rainha). É professora de desenho e pintura desde 2007 - Papelaria Fernandes e Atelier do Cardal (Lisboa).

DO CÉU E DA TERRA

Isabel Aboim Inglez, Portugal, 2012, ANI, HD, Cor, 14'

Há muito tempo atrás, houve um rapaz que tinha um prado no coração. Chamava-se Ocarino e tinha um sonho: ser Homem-Bala, viver projectado no ar, num sítio tão alto que pudesse tocar as estrelas e ver melhor as coisas que procurava. Num desses voos viu, na noite clara, uma casa muito alta, onde morava Blirina que mal ouvia uma música começava a dançar. Assim que a viu, Ocarino soube que ela seria a solução para acalmar o incêndio que transportava consigo.

Isabel Aboim Inglez

Nasceu em 1970. Estudou Artes Visuais e licenciou-se pela Escola Superior de Teatro e Cinema, em Lisboa. Lecciona Cinema de Animação na Escola Secundaria António Arroio e no CITEN ­ Centro de Imagem e Técnicas Narrativas da Fundação Calouste Gulbenkian. Trabalhou como directora de fotografia, argumentista e assistente de realização em vários filmes de ficção e animação.

Filmografia:
2012 – “Do Céu e da Terra”
2010 – “Vacas”
2005 – “Selo ou não Sê-lo”
2001 – “Táxi”
1999 – “De Cabeça Perdida”
1989 – “Existo!”
1988 – “Ecce Canis”

LETTRES DE FEMMES

Augusto Zanovello, França, 2013, ANI·DOC, HD, Cor, 11’15''

Na I Grande Guerra, o enfermeiro Simon trata dos rostos feridos dos homens da infantaria com cartas de amor. As palavras das amadas têm o poder de curar as feridas destes soldados de papel.

Augusto Zanovello

Filmografia:
2013 - "Lettres de Femmes"
2012 - "Les nouvelles aventures de Peter Pan" (série)
2002 - "My Friend Marsupilami" (série)
1995 - "Le Gardien de la cave"

PORTRAITS DE VOYAGES

Bastien Dubois, França, 2013, ANI, série, 20x3'
Vinte episódios, vinte encontros em vinte países diferentes. Esta série de animação propõe uma viagem em volta do mundo subjectivo e rico em cor através de diários cheios de cor e histórias originais, que reúne a imagem animada, a pintura e a estética do diário gráfico.

Bastien Dubois

Bastien Dubois nasceu no norte de França em 1983. Concluiu a sua formação como Director de Fotografia com o seu projeto Supinfocom Valenciennes. O seu filme Madagascar, Carnet de Voyage, foi nomeado para os Oscares em 2011 Mais tarde realizou as séries “Portraits de voyages" e a curta metragem "Cargo Cult".

Filmografia:
2013 – “Cargo Cult"
2013 – “Portraits de voyages" (série)
2012 - "Madagascar, carnet de voyage"
2006 - "Ah", realizado com Simon Moreau e Joris Bacquet

TRÊS SEMANAS EM DEZEMBRO

Laura Gonçalves, Portugal, 2013, ANI·DOC, HD, Cor, 6'13''

É uma história pessoal que enaltece os laços familiares, utilizando o sketchbook e a família como referência, este filme segue um formato diarístico, mostrando diversas situaçoes e eventos que fazem parte da cultura e rotina em Belmonte, durante a época do Natal.

Laura Gonçalves

Concluiu o curso de Arte e Multimédia-Animação, na Faculdade de Belas Artes, Lisboa em 2009. Trabalhou na animação e traçagem no filme “Viagem a Cabo Verde” realizado por José Miguel Ribeiro. Trabalhou na Arte Final nos filmes “Independência de Espírito” de Marta Monteiro, “O Sapateiro” de Vasco Sá e David Doutel, “M” de Joana Bartolomeu. Intrecalação e traçagem no filme “Quem é Este Chapéu” de Joana Toste. Em 2012 realizou a sua primeiro curta de animação “Três Semanas Em Dezembro”, com o Mestrado de Animação na Arts University Bournemouth.

Filmografia:
2013 – “Três Semanas em Dezembro”

© 2017 Curtas Vila do Conde