NEW MADRID

Natalia Marín · Espanha · 2016 · 10’06’’
Projeção vídeo, Full HD, cor, loop, cubo de madeira, luz led vermelha.



New Madrid é um ensaio sobre a utopia e a cópia fracassadas através de uma viagem pelas oito Madrid dos Estados Unidos. Enquanto preparava, com o coletivo Los Hijos, o projeto Árboles (sobre o planeamento urbano como ferramenta para a colonização e auto-colonização) descobri a Madrid do Novo México. Depois, encontraria os outros sete sítios situados nos estados do Alabama, Colorado, Iowa, Missouri, Nebrasca, Nova Iorque e Maine. Concebida num contexto de crise, a peça tinha que se cingir ao país norte-americano – já que é um nome de cidade que podemos encontrar em numerosas regiões do mundo – já que foi este o último território a possibilitar a utopia, destinado a tornar possíveis novas experiências comunitárias que dariam lugar a toda a classe de experiências sociológicas e religiosas.


Na viagem, concebida para ser como que um arquivo, um inventário audiovisual de todas elas, descobria que todas estavam marcadas, de uma forma ou outra, pela fatalidade, abatidas pelas distintas crises económicas dos séculos XX e XXI. É aí, então, que surge a cópia como fracasso. Por um lado, partindo do desenho urbano, os problemas sistemáticos da produção de novos espaços: a repetição, a simultaneidade, a circularidade (expostos por Henri Lefebvre em A Produção do Espaço), tão característicos da expansão norte-americano. Por outro lado, partindo de uma perspectiva mais simbólica, mais literária e irónica proveniente do nominal, da palavra Madrid, como se de uma maldição se tratasse.











Natalia Marín

Natalia Marín Sancho nasceu em Zaragoza, em 1982, e é artista na área do vídeo e professora. Em 2008, fundou o coletivo de filmes experimentais Los hijos juntamente com Javier Fernández Vázquez e Luis López Carrasco. A sua primeira longa-metragem, “Los materiales”, ganhou o Prémio Jean Vigo de Melhor Realizador no Festival Internacional Punto de Vista, em 2010, e a Menção Especial do Júri no FID Marseille. O seu trabalho foi apresentado em vários festivais internacionais e em espaços expositivos, como no MUSAC, Guggenheim Bilbao, Centre Pompidou, Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía, ou no Anthology Film Archives. Participou em exposições coletivas no Centro Internacional Tabakalera de Cultura Contemporânea de San Sebastián, no PhotoEspaña e na La Casa Encendida, entre outras. Como professora, atualmente colabora com a Escuela Internacional de San Antonio de Baños (Cuba), o Círculo de Bellas Artes e a ECAM (Escuela de Cinematografía de la Comunidad de Madrid).

© 2018 Curtas Vila do Conde