Dominique Gonzalez-Foerster<br />
(Vila do Conde, 2002)

Dominique Gonzalez-Foerster
(Vila do Conde, 2002)

Film still de <i>Riyo</i>

Film still de Riyo

Dominique Gonzalez-Foerster

REPÉRAGES RIYO, França, 1999 35mm, cor, 10' (incluído na secção Work in Progress do 10º Festival Internacional de Curtas Metragens de Vila do Conde, de 30 de Junho a 7 de Julho de 2002)
A propósito da retrospectiva sobre a obra de Dominique Gonzalez-Foerster, esta instalação vídeo enquadrava uma outra faceta da artista desenvolvida em territórios contíguos às artes plásticas. É uma obra baseada na preparação para a rodagem de Riyo, montada a partir de diversos excertos, e que foi apresentada num contexto diferente do habitual para os filmes que formam a trilogia (Riyo/Central/Plages). Retrospectiva em Vila do Conde, 2002: Riyo (Riyo), França, 1999, Fic, 10', 35mm, cor. Central (Central), França, 2001, Fic, 10', 35mm, cor. Plages (Praias), França, 2001, Fic, 15', 35mm, cor. Ann-Lee in Anzen Zone (Ann-Lee em Anzen Zone), França, 1999, Fic, 3'25'', Beta SP, cor. Ipanema Théories (vídeo concebido por Dominique Gonzalez-Foerster para ser apresentado com acompanhamento de um Dj. O Festival convidou para o efeito Rainer Trüby)

Manuel de Oliveira e Aleksandr Sokurov<br />
(Vila do Conde, 1999)

Manuel de Oliveira e Aleksandr Sokurov
(Vila do Conde, 1999)

Film still de <i>Elegy of a voyage</i>

Film still de Elegy of a voyage

Aleksandr Sokurov

ELEGY OF A VOYAGE (Elegia de uma viagem)França/Rússia/Holanda, 2001 Beta SP, cor, 47' (incluído na secção Work in Progress do 10º Festival Internacional de Curtas Metragens de Vila do Conde, de 30 de Junho a 7 de Julho de 2002)
"Durante toda a viagem de carro que nos levou da Rússia até aos extremos da Europa Ocidental, procurei qualquer coisa nos olhos de todas as pessoas que encontrei causada pela alegria, pela felicidade e pelo consolo. Mas só encontrei o que procurava em duas pinturas antigas..."A. Sokurov

Patrick Jolley e Reynold Reynolds

Patrick Jolley e Reynold Reynolds

Vista da instalação <i>The Drowning Room</i>

Vista da instalação The Drowning Room

Patrick Jolley, Reynold Reynolds

THE DROWNING ROOM (O Quarto Submerso) Irlanda/E.U.A., 2000, Vídeo (incluído na secção Work in Progress do 10º Festival Internacional de Curtas Metragens de Vila do Conde, de 30 de Junho a 7 de Julho de 2002)
Este filme foi filmado num contentor totalmente submerso. O contentor foi reforçado e foram abertas janelas dos dois lados para criar as condições da luz natural. Os cenários e o mobiliário foram trazidos através de buracos no tecto. Os actores usaram bombas de ar escondidas e períodos prolongadossustendo a respiração. Cada um vestiu pelo menos 12kg de chumbo para conseguir uma postura autêntica. As condições debaixo de água levaram a movimentos de câmara fora do comum, um peso estranho no desempenho das personagens e uma sensação constante de que o ar se está a acabar, de que o tempo se esgota.

Matthias Müller<br />
(Vila do Conde, 2002)

Matthias Müller
(Vila do Conde, 2002)

Film still de <i>Phantom</i>

Film still de Phantom

Matthias Müller

PHANTOM (Fantasma), Alemanha, 2001 DVD-R, cor, 04'36''. (incluído na secção Work in Progress do 10º Festival Internacional de Curtas Metragens de Vila do Conde, de 30 de Junho a 7 de Julho de 2002)
"O meu fascínio com cortinas começou na infância quando pedi aos meus pais o quarto livre da nossa casa para poder construír ali um pequeno teatro. Tudo o que eu precisava para esta transformaçõa mágica era de uma cortina. As cortinas têm como finalidade o esconder e também o revelar coisas de forma muito eficáz, elas enquadram a expectativa e a curiosidade, ampliando os momentos cruciais das nossas vidas que nos levam pelo menos até ao cair do pano. Para além do véu, há uma sedução no espaço desconhecido, a esperança de sair." M.Müller A geografia das sombras. Silhuetas que não chegam a tomar forma. Figuras anémicas, vistas em negativo, forçadas a vaguear em desassossego entre narrativas, mas apanhadas num círculo que se repete sem fim. São mortos vivos confinados a um espaço cinematográfico do qual não podem sair. São o regresso que permanece entre as histórias.

Christoph Girardet

Christoph Girardet

Film still de <i>Scratch</i>

Film still de Scratch

Christoph Girardet

SCRACHT (Scratch), Alemanha, 2001 DVD-R, 04'45'' (incluído na secção Work in Progress do 10º Festival Internacional de Curtas Metragens de Vila do Conde, de 30 de Junho a 7 de Julho de 2002)
"A estrutura do filme, que à primeira vista parece reduzida e estricta, gera uma percepção rica e precisa da materialidade do vinil e do celulóide. Imagem, montagem e ritmo condensam-se num tratado abstracto e sensual sobre a diferença e a repetição, sobre a história do cinema e o fenómeno da desaparição."C.Girardet Uma montagem de gira-discos e gramofones de vários filmes. O som original foi substituido pelo som de riscos, semelhantes às ranhuras do discos novos. As rotações são repetidas uma e outra vez e os cortes imperceptíveis criam pequenos saltos nos discos (que não aparecem na versão original). O número de rotações quase idênticas dos gira discos cria um aestrutura rítmica. A duração total da peça corresponde à duração média de uma música.

© 2017 Curtas Vila do Conde