Regina Pessoa

Regina Pessoa

Abi Feijó

Abi Feijó

Alexandre Siqueira

Alexandre Siqueira

Biografias


Regina Pessoa

Nasceu em Coimbra, em 1969. Licenciada em Pintura pela Faculdade de Belas Artes do Porto, em 1998. Coorientou de diversos workshops de Cinema de Animação, desde 1992. Em 1992 começa a trabalhar em animação: animadora no filme “Os Salteadores”, de Abi Feijó, 1992/93; animação e pesquisa gráfica para o filme “Fado Lusitano” de Abri Feijó, 1994/95; animação em areia para o filme “Clandestino” de Abi Feijó, 2000. Em 1996 começa a realizar os seus próprios filmes de animação, obtém um grande reconhecimento e ganha inúmeros prémios, tornando-se uma referencia incontornável da Animação Portuguesa. Todos os seus filme fazem parte da lista de filmes do Plano Nacional de Cinema, e são estudados por crianças e jovens das escolas Portuguesas. Em 2016 torna-se “senior lecturer” na escola de animação alemã Filmakademie. Em 2018 torna-se membro da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood.

Abi Feijó

Nasceu em Braga, em 1956. Licenciado em Arte Gráfica e Design pelas Belas Artes do Porto. Em 1984 frequenta um estágio no NFB do Canada, onde realiza o primeiro filme “Oh que Calma”. De regresso ao Porto, funda a Filmógrafo, em 1987. Em 2000, cria a Casa da Animação e, em 2002, a Ciclope Filmes. Como realizador, explora diversas técnicas da animação, sendo os seus principais filmes: “Os Salteadores”, 1993; “Fado Lusitano”, 1995; e “Clandestino”, 2000. Em 2014 inaugurou a Casa Museu de Vilar, dedicada à imagem em movimento. Exerce ainda funções de produtor e de conselheiro artístico, orienta vários estágios e ações de formação um pouco por todo o mundo, sobretudo em ateliers com crianças. Foi professor na Universidade Católica e na ESAP. Desempenhou ainda as funções de Presidente da ASIFA e de Vice Presidente do ASIFA Workshop Group.

Alexandre Siqueira

Nasceu no Rio de Janeiro em 1980. A sua paixão pela ilusão do movimento começou quando tinha apenas 6 anos. Alexandre folheava um livro científico que encontrara na estante do seu pai quando uma sequência de fotogramas que ilustrava uma luta de boxe lhe chamou a atenção. A partir desse momento, o seu interesse pela imagem animada foi crescendo cada vez mais. Chegou a construir diversos brinquedos lúdicos nessa altura, inclusive um retroprojetor a partir de uma caixa de sapatos, em que as imagens eram desenhadas numa folha de radiografia.
Em 1988 muda-se para Portugal com os seus pais e irmão. Durante a sua adolescência dedica-se bastante a música e as artes plásticas, dando alguns concertos com a sua banda (Cosmic Flies) e participando em vários concursos de pintura e exposições. Em 1996 vai estudar para a Escola Soares dos Reis. Por falta de vaga no curso de Artes Visuais, é-lhe aconselhado inscrever-se no curso de Imagem e Comunicação. Essa é a grande sorte de Alexandre, pois sem saber, é neste curso que começa a desenvolver o seu conhecimento pelo cinema de animação.
Em 2000, corealiza “Sopa Fria”, no âmbito do curso de cinema de animação de volumes no CITEN/Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa. No mesmo ano começa a trabalhar no Porto, no estúdio Filmógrafo. Desde então, Alexandre tem desenvolvido e colaborado em diversos projetos de curtas e longas-metragens, séries de animação e videoclips. Em 2008, Alexandre vai para a escola La Poudrière, em França, para se especializar em realização de filmes de animação. A sua curta-metragem de estudante intitulada “Viagem ao Campo de Girassóis” é bem acolhida em diversos festivais internacionais tais como o Festival de Annecy em França, o Anima Mundi no Brasil e o Animateka, na Eslovénia. “Purpleboy” é a sua mais recente curta-metragem de animação. Atualmente, Alexandre reside no norte de França, em Lille.

© 2020 Curtas Vila do Conde